segunda-feira, 31 de outubro de 2016

“Os votos que recebi serão devolvidos em mais trabalho por São Luís”, diz Eduardo Braide em retorno à AL

“Os votos que recebi serão devolvidos em mais trabalho por São Luís”, diz Eduardo Braide em retorno à AL
O deputado Eduardo Braide (PMN), que retornou nesta segunda-feira (31) à Assembleia Legislativa, usou a tribuna para agradecer a votação que recebeu no segundo turno da eleição municipal de São Luís. 
“Os 243.591 votos que recebi, votos de confiança e esperança, serão todos devolvidos em trabalho, como sempre fiz aqui nesta Casa. Volto à Assembleia Legislativa para continuar defendendo a população de nossa cidade e, sobretudo, fiscalizando os próximos quatro anos. Que as máquinas que trabalharam nas madrugadas às vésperas da eleição não sejam retiradas das ruas”, alertou Braide.
Sobre os ataques que sofreu durante toda a campanha do segundo turno, Eduardo Braide lamentou que em São Luís ainda haja a prática da velha política. 
“Tão logo fui anunciado para o segundo turno, virei alvo de ataques, ofensas, calúnias e nem minha família foi respeitada. Virei pauta da Rádio e TV Difusora pela manhã, tarde e noite. Nunca fui procurado para falar sobre qualquer assunto veiculado. Só quero lembrar que esta é uma concessão pública e que assim como há direitos também têm deveres a serem cumpridos. Só quero relembrar que o caso foi denunciado ao SBT Nacional e que irei onde precisar ir para que este caso não se repita mais aqui em São Luís”, destacou o deputado sendo aplaudido pela galeria.
Ao final do discurso, Braide agradeceu mais uma vez os votos que recebeu. “Sou extremamente e serei sempre grato aos mais de 240 mil ludovicenses que fizeram um novo dia nascer em São Luís. A ilha rebelde acordou e mostrou que pode mudar o rumo das eleições, como mudou. Sei que eles estarão juntos comigo fiscalizando para que as máquinas do Estado e da Prefeitura continuem trabalhando. Que Deus abençoe a todos os moradores da nossa querida São Luís”, finalizou o deputado.

Natalino Salgado é eleito para a Academia Nacional de Medicina



O ex-reitor da UFMA Natalino Salgado Filho foi eleito na última quinta-feira, 27 para a Academia Nacional de Medicina – ANM. Ele ocupará a cadeira nº 19, no lugar do médico Clementino Fraga, que faleceu em maio deste ano, cujo patrono é o ex-vice-presidente da República, Manoel Vitorino Pereira.
Com 187 anos de fundação, a ANM reúne a elite da classe médica e cientistas da medicina no Brasil. É a primeira vez que um maranhense formado pela faculdade de medicina da UFMA e com residência fixa no Maranhão passa a integrar a instituição.
Com centenas de trabalhos publicados nos mais importantes periódicos da medicina no Brasil e no exterior, Natalino Salgado é doutor em nefrologia pela Universidade Federal de São Paulo e uma referência nessa especialidade no Estado.  É autor, entre outros, dos livros “Faculdade de Medicina do Maranhão – Uma História de 59 anos” e “Tarquínio Lopes Filho, médico, político, jornalista, administrador que virou mito”.
Para ser aclamado membro da Academia, Salgado teve que apresentar uma tese inédita de doutorado. O ex-reitor da UFMA passou ainda por uma criteriosa sabatina feita por uma comissão de avaliação.

Os arquitetos do novo Tratado de Tordesilhas no Maranhão

 Assim que os ventos sopraram do Palácio e veio a público a notícia do novo Tratado de Tordesilhas uma grande onda de indignação bateu no nosso litoral. Tratava-se do acordo político, travado a portas fechadas entre os imperadores do PCdoB e do PDT, que vislumbrava a divisão das terras maranhenses através do uso de tristes artimanhas para demarcar territórios e eliminar os adversários indesejados nas eleições municipais, antes mesmo de iniciado o combate político.
Aos olhos mais experientes era cristalino o desfecho de tamanha prepotência. Muitos fatores foram observados e denunciados como entraves para a concretização dessa engenharia ardilosa. Entretanto, seguindo o ditado que somente as pessoas mais tolas ou arrogantes seguem, que diz que se conselho fosse bom não se dava, se vendia, os imperadores deram vazão ao descalabro, chegando mesmo a admitir publicamente o Tratado sob o disfarce da escolha do ”melhor para o Maranhão”,
conforme anúncio do senhor Governador. Seguiram os poderosos na missão de comunicar aos territórios o que podia e o que não podia ser feito, quem eram os generais por eles legitimados para o domínio dessas regiões, e o que esperar diante dos resultados, numa ameaça velada aos atos de “insubordinação”.
Arriscaram-se a pagar o preço, sem imaginar o valor da conta, que veio alta. A onda virou ressaca, atingindo boa parte do litoral, adentrando com força o interior e alcançando de forma crucial as terras pretendidas.
Foi assim que nessas eleições municipais nós presenciamos uma derrota retumbante do grupo político que hoje se encontra à frente do comando do Palácio. Os territórios, estrategicamente negociados para a perpetuação dessa nova leva de equivocados, como Imperatriz, Caxias, Bacabal, Barreirinhas e Pinheiro, mostraram que são livres e que não se submetem ao papel de moeda de troca. É um resultado expressivo que precisa ser
interpretado a luz da história política do Maranhão. É a reação a uma gestão centralizadora e autoritária, repudiada até pelos seus, que em nada retribui a confiança que nela foi depositada na esperança de uma mudança, do fim dessa política imperial. Acima de tudo, é uma demonstração de que por estas terras também sopram os ventos da democracia, ainda frágeis, mas a despeito dos “poderosos” de plantão.
Nesse diapasão resta evidente que os monarcas ignoraram a construção histórica das conjunturas política, social e cultural que permitiram sua ascensão ao Governo do Estado, repetiram e intensificaram as práticas políticas e governamentais discriminatórias, eleitoreiras e decadentes contra as quais a luta pela liberdade e pela democracia foi travada, e menosprezaram as forças locais, bem como a capacidade de reflexão dos cidadãos e cidadãs comuns. Nada aprenderam com o último estadista que a política estadual nos presenteou: Dr. Jackson Lago.
Para complementar o quadro, finalizamos o segundo turno da sede da capitania, último território do Tratado a ter seu destino definido, onde a reeleição do prefeito exigiu uma mobilização gigantesca de estruturas financeiras, como nunca visto antes na história da cidade, e a presença massiva da máquina pública, ainda que em benefício da população. O que seus aliados insistiram em chamar de fenômeno não corresponde a realidade, o sentimento de inconformismo com o velho jeito de se fazer política fez-se presente durante toda a disputa, expresso num brado retumbante de mudança, e que resultou na convergência das forças de oposição ao regime monárquico dos cenários municipais e estadual em torno do Davi Braide que a todos surpreendeu e que mostra a verdadeira rebeldia ludovicense. Uma lição de que os tempos são outros, ainda que reste a triste realidade do subjugo do poder econômico.
Com certeza foi um breve suspiro de alívio no Palácio que, entretanto, não é capaz
de modificar o cenário político que se desenha para o próximo combate. As terras maranhenses já deram há tempos os sinais de que aqui o desejo não é só do novo, o desejo é por uma mudança efetiva na vida das pessoas. O que se espera de um governante é a sua liderança pautada na autonomia e no desenvolvimento das realidades locais, e não uma governança que se diz democrática, mas que na prática se sustenta em perseguições e privilégios.
Resta a convicção que o fracasso do Tratado de Tordesilhas é uma grande ressaca moral e ética que nosso Governador terá que amargar juntamente com seus conselheiros iluminados.

Flávio Dino: “esquerda deve olhar menos para trás e mais para frente”

:
"A guinada do eleitorado mais para a direita derivou da profunda crise econômica, que dizimou empregos e a perspectiva de progresso social. Não teremos no Brasil, contudo, uma 'onda conservadora' duradoura. Por várias razões. Uma delas que isso fortaleceria a desigualdade, já absurda", disse o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), nesta segunda-feira, 31; ele defendeu a união das esquerdas sob um novo projeto, que reúna, "desenvolvimento" e garantia dos "direitos"; "A esquerda deve olhar menos para trás e mais para frente"; Dino apresentou como saída um "novo programa sustentado por uma frente ampla", que volte a atrair a atenção do eleitor médio, que rapidamente "vai se desiludir com certas coisas esquisitas"; para Dino, o PT continua a ser "expressivo" e que o pregado "fim do PT" não é coerente, "é mais torcida ou ódio do que realidade".
Portal Vermelho - Diante do resultado eleitoral deste domingo (30), o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) reafirmou, na manhã desta segunda-feira (31), a necessidade da esquerda de revisar o seu conteúdo programático e elaborar um projeto que una as forças progressistas, populares e democráticas em torno de um "projeto sustentando por uma frente ampla".
Segundo Flávio Dino, com esse resultado eleitoral, a “esquerda deve fazer rápido duas revisões: uma programática e outra orgânica. Desenvolvimento e direitos devem ser os eixos de novo Programa”, salientou.
"Candidatos esquisitos e absenteísmo"
O governador lamentou os resultados eleitorais, principalmente nas grandes cidades, como o grande número de abstenções, nulos e brancos e destacou ainda a eleição de pessoas incomuns à política. Para ele, “mais uma vez o partido vitorioso foi o da ‘antipolítica’, representada por candidatos esquisitos e pelo absenteísmo bastante expressivo”.

“A guinada do eleitorado mais para a direita derivou da profunda crise econômica, que dizimou empregos e a perspectiva de progresso social. Não teremos no Brasil, contudo, uma 'onda conservadora' duradoura. Por várias razões. Uma delas que isso fortaleceria a desigualdade, já absurda”.

Flávio Dino admitiu que o PT teve importante derrota em todo o Brasil, mas “continua a ser muito expressivo”. Para ele, o discurso do "fim do PT" não é coerente, “é mais torcida ou ódio do que realidade”.

“Emerge das urnas uma esquerda mais plural e multifacetada. Isso é positivo pois impele ao diálogo, e não a exclusivismos”, ressaltou.

“A esquerda deve olhar menos para trás e mais para frente”, criticou o governador comunista e apresentou como saída um “novo programa sustentado por uma frente ampla”. “Penso ser esse o caminho. Frente ampla em que volte a atrair a atenção do "eleitor médio", que rapidamente vai se desiludir com certas coisas esquisitas", destacou.
  

Fábio Braga destaca a importância da criação da Universidade Estadual da Região Tocantina

 
O presidente da Comissão de Educação, Cultura, Desportos, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa, deputado Fábio Braga (SD), ocupou a tribuna, na quinta-feira (27), para falar da importância da criação da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL), uma iniciativa do governador Flávio Dino (PCdoB), aprovada por ampla maioria do poder Legislativo na quarta-feira (26).
 
O parlamentar destacou que a Assembleia aprovou o Projeto de Lei que cria a UEMASUL, depois de relevantes debates sobre a inportância e a necessidade de se regionalizar a Uema, e ressaltou o clamor da população da região Sul Maranhense que terá, a partir de agora, uma instituição de ensino com autonomia e com estrutura acadêmica.
 
Para Fábio Braga,  questões sobre a criação da  UEMASUL foram levantadas, pois alguns colegas queriam saber se houve discussão no meio acadêmico sobre a nova universidade. “Uma dúvida que tem que ser esclarecida é que Imperatriz merece e tem como acolher mais uma instituição de ensino”, disse.
                                
GRANDE IMPERATRIZ
 
Em sua fala, Fábio Braga informou que Imperatriz é a capital da Região Metropolitana Sudoeste Maranhense, criada por força da Lei Complementar 89/2005, que engloba os prósperos municipios de João Lisboa, Senador La Roque, Buritirana, Davinópolis, Governador Edison Lobão, Montes Altos e Ribamar Fiquene.
 
Fábio Braga informou ainda que a região tem uma população de mais de 430 mil habitantes e uma renda per capita de pouco mais de R$ 19 mil, tornando-se o segundo PIB do Maranhão e um dos maiores do País. “Além dos Campi da UFMA e do CEUMA, Imperatriz conta com outras universidades particulares”, comentou.
 
“Além de ser o maior entroncamento econômico e comercial do Estado do Maranhão, a cidade de Imperatriz está bem localizada. As regiões Sul Maranhense, Sul do Pará e Norte do Tocantins podem transformar Imperatriz em dois grandes polos do Estado do Maranhão: um comercial e outro educacional”, prevê Fábio Braga.
                                   
POLO EDUCACIONAL
 
Na avaliação do parlamentar, a partir do momento em que a UEMA e as demais instituições implantarem suas instalações em Imperatriz, a cidade transformar-se-á em um polo educacional, atraindo jovens do Maranhão, do Tocantins, do Piauí e do Pará com o objetivo de fazerem cursos de graduação e pós-graduação.
 
Na ocasião, Fábio Braga parabenizou a população de Imperatriz e pediu para que todos fiquem vigilantes para a qualidade do ensino ministrado pela UEMASUL. “Vai depender da população a avaliação das universidades da cidade de Imperatriz nos rankings das melhores do Brasil”, alertou.
 
Concluindo, Fábio Braga ressaltou que vai depender da comunidade acadêmica a transformação da Região Sul do Maranhão em um verdadeiro celeiro, produtor de grandes mentes, como também de intelectuais, o que certamente trará mais desenvolvimento para a próspera região. 

O vereador eleito Cézar Bombeiro confirma sua liderança no Bairro da Liberdade


Cézar Bombeiro entre os amigos Genivaldo Abreu e Armando Nobre

 O vereador eleito por São Luís Cézar Bombeiro (PSD) mostrou mais uma vez que é líder inconteste do Bairro da Liberdade. Cézar Bombeiro transferiu para Braide (PMN) 2130 votos contra 1664 para Edivaldo (PDT). Ele, que no primeiro turno na Liberdade obteve uma votação expressiva com mais de 80% votos, mostra claramente que é imbatível. Cézar Bombeiro sabe muito bem que é imprescindível que para ser exitoso em seu mandato, tem que ter apoio popular. Isso ele já vem demostrando que tem com o trabalho realizado ao longo dos anos na comunidade.

Orquestra Jovem João do Vale realizará concerto sobre temas Nordestinos

A Orquestra Jovem João do Vale do Maranhão realizará nesta terça-feira (01) de novembro, às 19h no Teatro João do Vale Concerto sobre Temas Nordestinos, homenageando grandes compositores como João do Vale, Luiz Gonzaga, e artistas locais. 
A orquestra é formada por 70 músicos formados na Ufma, Uema, igrejas, escola de música do município  e do estado.

ÚLTIMO ENSAIO:
 
Nesta segunda-feira (31) a Orquestra estará realizando últimos ensaio ás 19h30h no teatro João do Vale situado na rua da Estrela.
 
Entrada Franca, Ingressos limitados no local. Você é o nosso convidado especial.
 
O que? Concerto sobre temas Nordestinos
Informações: Marcos Japí- Assessor de Comunicação – 988466101-992004672
Quando? Terça-feira (01) de novembro às 19h
 Onde? Teatro João do Vale, situado na rua da Estrela em frente a câmara municipal
 
Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.
Salmos 46:1   

Em Viana, filhos de servidores do Judiciário recebem Bolsa Família indevidamente

Pelo menos três servidores do Poder Judiciário do Maranhão, lotados na comarca de Viana, cidade da Baixada Maranhense, recebem indevidamente o Bolsa Família, benefício do Governo Federal voltado exclusivamente a famílias de baixa renda. Uma das favorecidas é ninguém menos do que a secretária judicial, espécie de administradora do fórum local, que recebe quase R$ 10 mil de salário, e ainda assim tem um dependente cadastrado no programa assistencial.
No caso da secretária judiciária, Simone Viegas, o benefício está no nome do marido dela.
No caso da secretária judiciária, Simone Viegas, o benefício está no nome do marido dela.
O caso da secretária judiciária, identificada como Simone Viegas Pinheiro, servidora não efetiva nomeada para o cargo há quase duas décadas, é um exemplo claro de desvio de finalidade do Bolsa Família. Esse tipo de irregularidade já foi registrado em diversas regiões Brasil afora, sobretudo em municípios do interior, onde a pobreza é predominante e a fiscalização é mais difícil.
Em consulta ao Portal da Transparência do Tribunal de Justiça do Maranhão, o blog apurou que Simone Viegas recebe vencimento mensal de R$ 9.590,43. Seu marido, Sílvio Roberto Azevedo Castro, empresário do ramo de autopeças, assina como responsável o cadastro do filho menor.
De janeiro a agosto deste ano, a família da secretária judiciária recebeu R$ 976,00 do programa – as duas primeiras parcelas no valor de R$ 131,00 e as demais, de R$ 119,00 -, conforme consta no site do Ministério do Desenvolvimento Social. Paga indevidamente, tendo em vista o elevado padrão financeiro dos beneficiários, a quantia deveria ser devolvida, pois os contemplados, nem de longe, fazem jus ao auxílio.
Não se sabe qual artifício foi usado pelo casal (ou por um dos dois cônjuges) para burlar as regras do Bolsa Família, mas está claro que foram fornecidos dados falsos no ato do cadastro, o que torna os fraudadores sujeitos a punição, de acordo com o que prevê a lei.
Acúmulo de cargo – Como se não bastasse o recebimento irregular do Bolsa Família, a secretária judicial do Fórum de Viana é acusada de acúmulo ilegal de cargo público. Além da função que exerce no Poder Judiciário, ela é servidora técnica administrativa da prefeitura local, lotada na Secretaria Municipal de Administração, conforme atesta cópia da folha de pagamento da pasta obtida pelo blog. A remuneração de Simone no órgão do Município é de um salário mínimo (R$ 880,00 em valores atualizados).   
Nepotismo – Pesa ainda contra Simone a acusação de prática de nepotismo no Poder Judiciário, já que parentes seus trabalham no Fórum de Viana. Um deles é a irmã Andrea Cristina Viegas Pinheiro, contratada pela Prefeitura de Viana no cargo de agente administrativo e concursada pela Prefeitura de Cajari para o cargo de AOSD. Diga-se de passagem, são dois cargos inacumuláveis.
Seu cunhado e esposo de Andrea, Cleuberth Barbosa Pinheiro, é concursado na Prefeitura de Viana como motorista e trabalha como terceirizado, na função de segurança do fórum. Até a empregada doméstica da secretária judicial, de nome Sandra é comumente vista fazendo a limpeza nas dependências do fórum de Viana.
O que chama atenção é que mesmo em meio a uma crise econômica que acomete todo o país, desencadeando índices alarmantes de desemprego, na família de Simone Viegas é comum haver pessoas ocupando dois empregos, em alguns casos, dois cargos públicos ou a serviço do poder público.
Outros casos – Outros dois servidores da comarca de Viana recebem o Bolsa Família sem fazer jus ao benefício, associando-se à secretária judicial em uma espécie de organização criminosa, que opera em pleno fórum.
No caso do servidor Juvaldir, está no mome da esposa.
No caso do servidor Juvaldir, está no mome da esposa.
Um deles é Juvaldir Aires Serra, técnico judiciário concursado, pai de duas filhas beneficiadas pelo programa. Assina como responsável pelo cadastro de ambas as dependentes a esposa do servidor, Ana Carolina Santos Serra. De janeiro a setembro, os auxílios somaram R$ 1.950,00, pagos em nove parcelas, sendo três de R$ 233,00, três de R$ 209,00 e outras três de R$ 208,00.
Em relação à servidora Iáilia, o benefício está no nome da irmã, Idelândia Mesquita Andrade.
Em relação à servidora Iáilia, o benefício está no nome da irmã, Idelândia Mesquita Andrade.
A terceira servidora lotada no Fórum de Viana com dependentes contemplados pelo Bolsa Família é Iailia Cutrim Andrade, funcionária pública concursada da Prefeitura de Cajari, cedida por aquele município à comarca. Assina como responsável pelo benefício dos três filhos de Iailia a irmã dela, Idelândia Mesquita Andrade. Até setembro deste ano, os dependentes da servidora receberam do Governo Federal a quantia de R$ 1.698,00, em nove parcelas, sendo as três primeiras de R$ 202,00 e as seis restantes de R$ 182,00.    
Folha de pagamento da Secretaria Municipal de Administração de Viana, que comprova o acúmulo de cargo da secretária judiciária, Simone Viegas, no Fórum e na Prefeitura.
Folha de pagamento da Secretaria Municipal de Administração de Viana, que comprova o acúmulo de cargo da secretária judiciária, Simone Viegas, no Fórum e na Prefeitura.

domingo, 30 de outubro de 2016

Pequenos produtores são beneficiados com mais de R$ 6 milhões para agricultura familiar

 

Governador Flávio Dino assinou termo de cooperação técnica e entregou títulos coletivos de propriedade beneficiando agricultores da região. Foto: Gilson Teixeira/Secap
Governador Flávio Dino assinou termo de cooperação técnica e entregou títulos coletivos de propriedade beneficiando agricultores da região. Foto: Gilson Teixeira/Secap
Palestras, oficinas, troca de experiências, comercialização, contrato com  instituições financeiras, mercado institucional, acesso as políticas públicas para agricultura familiar, empreendedorismo rural, conhecimentos na criação de pequenos animais, serviços de diversos órgãos do Estado e várias tecnologias para incrementar a produção no campo. Tudo isso e muito mais, os agricultores familiares do território Campos e Lagos tiveram acesso na Feira de Agricultura Familiar e Agrotecnologia do Maranhão (AGRITEC), realizado nos dias 27 a 29 de outubro, no município de Viana.
Durante a Agritec os agricultores familiares do territórios Campos e Lagos foram beneficiados com a assinatura do Termo de Cooperação Técnica com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) que destinou mais de R$ 5 milhões para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) que irá beneficiar 28 associações e cooperativas. Além disso, sete agricultores do município de Cajari, município do Mais IDH, receberam sete kits de irrigação, da emenda parlamentar do Deputado Rúbens Pereira Jr para auxiliar na produção.
Também durante a Feira, 35 agricultores da cadeia produtiva de aves caipiras, do Programa Mais Produção, foram beneficiados com a ordem de pagamento do fomento para a criação de galinhas com o acompanhamento do Sistema SAF. Houve também entrega de seis títulos coletivos de terra que irão beneficiar 321 famílias do município de Viana e Penalva com uma área 2.700 hectares.
O evento qualificou 1.987 agricultores familiares da região. Fotos: Gilson Teixeira/Secap
O evento qualificou 1.987 agricultores familiares da região. Fotos: Gilson Teixeira/Secap
“O governador Flávio Dino sempre representou o povo do Maranhão e a entrega dos títulos de propriedade para as associações produzirem, reforça o compromisso de atender quem mais necessita e levar dignidade e cidadania de fato às pessoas”, destacou a presidente do ITERMA, Margareth Mendes.
O evento deixou 1.987 agricultores familiares capacitados e movimentou R$ 6.436.467,13, sendo R$ 5.513.847,13 do convênio da Conab com o governo para desenvolver a agricultura familiar no território,  29.590 em comercialização de produtos de agricultores familiares e R$ 883.800  que o Banco do Brasil e o Banco do Nordeste financiou aos piscicultores do povoado de Itans, no município de Matinha para desenvolverem ainda mais a atividade na comunidade que exportam peixes para São Luís, Teresina, Imperatriz e Pinheiro. Os projetos para aprovação junto às instituições financeiras foram elaboradas pelos técnicos da Regional da Agerp de Viana.
Itans é uma comunidade que, ao longo desses últimos cinco anos, vem se destacando com a criação de peixes e o governo do Estado está contribuindo com o desenvolvimento da piscicultura na região com construção de 16 km de estrada que ligam a sede do município ao povoado Itans que irá aumentar significativamente a produção local e ajudará para escoar a produção.
“É impossível desenvolver o Maranhão sem que tenhamos uma agricultura familiar forte, porque essa atividade tem a capacidade de gerar alimentos, oportunidade para que milhares de pessoas tenham acesso à renda e consigam desenvolver outros setores econômicos, porque a agricultura familiar forte significar desenvolver o comércio e o setor de serviços como vemos em várias cidades do Maranhão, explicou Adelmo Soares, secretário da secretaria de estado da agricultura familiar- SAF.
Durante a Agritec, a Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp) e o Instituto de Colonização e Terras do Maranhão – ITERMA, emitiu mais de 32 Cadastros Ambientais Rurais (CAR), que é uma ferramenta utilizada para auxiliar o processo de regularização  ambiental de propriedades e posses rurais. Além disso, a Agerp expôs espaço tecnológica de meliponicultura, curso de criação racional de abelhas e produção de feijão caupi.
Para o presidente da Agerp, Júlio César Mendonça, a Agritec é o maior evento voltado para o agricultor familiar que a Baixada Maranhense sedia.  “A região tem muitos desafios e entendemos que a Agritec é um encontro para mostrar as potencialidades, possibilidades e pôr em pauta a agricultura familiar da Baixada”, disse ele, que afirmou, ainda, que a região viveu 40 anos de abandono e tem um momento ímpar desde 2015. “Para a região, que nunca recebeu um evento desta magnitude, o encontro renova as possibilidades de desenvolver a Baixada”, enfatizou.
Para a coordenadora da Rede de Colegiados Territoriais, Zulmira Mendonça, a Agritec é ímpar e impacta de forma positiva na vida da região. “O governador Flávio Dino mostra compromisso com o agricultor e está investindo para dar dignidade às famílias que tiram da terra seu sustento”, pontuou Zulmira Mendonça.
Agritec

O evento qualificou 1.987 agricultores familiares da região. Fotos: Gilson Teixeira/Secap
O evento qualificou 1.987 agricultores familiares da região. Fotos: Gilson Teixeira/Secap
A Agritec integra um conjunto de ações para o desenvolvimento do setor rural em todo o estado e tem o objetivo de criar espaços para troca de experiências e ampliar o conhecimento tecnológico para beneficiar os agricultores familiares do estado. É uma realização do Governo do Estado, por meio do Sistema SAF (Secretaria de Estado da Agricultura Familiar – SAF, Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural – Agerp e Instituto de Colonização e Terras do Maranhão – Iterma), em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MA), prefeituras e os movimentos sociais (MIQCB, FETRAF-MA, FETAEMA, ACONERUQ, MST).

Edivaldo reeleito com a força da máquina

 
Edivaldo com a esposa Camila: vitória difícil, apesar do uso escancarado da máquina pública
Edivaldo com a esposa Camila: vitória difícil, apesar do uso escancarado da máquina pública
O prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) foi reeleito hoje para governar São Luís por mais quatro anos. Ele venceu o segundo turno com quase 54% dos votos, contra pouco mais de 46% do deputado estadual Eduardo Braide (PMN). Mesmo com o apoio maciço da máquina pública municipal e estadual, o pedetista, enfrentou um páreo duro e venceu o pleito por pouco mais de 9% de diferença em relação ao adversário.
Após uma campanha marcada muito mais por ataques de parte a parte do que por propostas para melhorar a capital, o recado das urnas foi claro: quase metade dos eleitores rejeitou o prefeito, que tem, agora, a oportunidade de se redimir dos erros que marcaram seu primeiro mandato.
Os mais de 235 mil votos dados a Braide, de um total de 545 mil votos válidos, mostram claramente que a cidade está dividida entre os que defendem o continuísmo e os que almejavam a mudança.
Embora favorecido por dois palácios, que bancaram obras de infraestrutura e inúmeras outras ações às vésperas da eleição, e com um forte aparato midiático, Edivaldo teve dificuldade para se reeleger. Sem esse reforço, fatalmente, o resultado das urnas seria outro.
Resta agora ao prefeito fazer jus á vitória com uma gestão efetivamente capaz de proporcionar qualidade de vida ao povo que lhe deu a nova chance.

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Wellington se posiciona contra a PEC 241 e parabeniza servidores pela passagem do seu dia

 
Nesta sexta-feira (28), o deputado estadual Wellington do Curso fez alusão ao dia do servidor público, comemorado hoje, e aproveitou para ratificar o seu posicionamento contra a PEC 241 e também para destacar suas ações em defesa dos funcionários públicos, bem como da função desempenhada por eles na construção e no progresso do Maranhão.
O parlamentar ressaltou  que, enquanto deputado estadual, é também servidor público, o que o faz compreender o que é dedicar-se a cada dia a fim de atender aos anseios da população, ou ao menos, atenuá-los. O parlamentar também parabenizou todos os servidores públicos e agradeceu pelo empenho e dedicação.
"Hoje e todos os dias reconhecemos o imenso valor dos que fazem parte da administração pública. A mais justa das homenagens é para os homens e mulheres que fizeram o servir como missão de vida, dedicando seu dia a dia e seu trabalho, além de seus conhecimentos técnicos e experiências profissionais, à nobre tarefa de prestar serviços à sociedade."
"Enquanto deputado estadual, sou funcionário público e, por isso, bem sei o que é dedicar-se diariamente a fim de garantir a concessão de serviços de forma eficaz, atendendo aos anseios da população. Aproveitando o dia de hoje, dia do servidor público, parabenizo os servidores pela função desempenhada, já que, pautados nos princípios norteadores da Administração pública, contribuem diuturnamente para a ascensão social do Estado. A mais honrosa das ocupações é servir ao público e ser útil ao maior número de pessoas. Por compreender a relevância do serviço público, já apresentei inúmeras proposições, dentre elas a Indicação Nº 47/2015, logo no início do mandato, no dia 11 de fevereiro de 2015, que solicitava a realização de concurso público em todas as secretarias e demais órgãos do Poder Executivo Estadual. Reafirmo, ainda, o meu apoio em defesa daqueles que, assim como eu, desempenham suas funções embasadas naquilo que deve ser fundamento em um Estado de Direito: o bem comum”, afirmou.
POSICIONAMENTO:
O deputado Wellington manifestou-se contra a PEC 241, bem como posiciona-se, diariamente, em defesa dos funcionários públicos. Além de lutar pela valorização, tem solicitado a realização de concurso público em todas as secretarias e demais órgãos do Poder Executivo Estadual.

Lula aciona delegado que o apontou como “amigo” em planilha da Odebrecht

Advogados do ex-presidente entraram nesta sexta-feira 28 com uma ação de reparação de danos morais contra o delegado da Polícia Federal Filipe Hille Pace, "em virtude de afirmação ofensiva e mentirosa por ele lançada sobre o nosso cliente em relatório (...) no qual ele não figura como investigado"; para a defesa, o "delegado federal cometeu abuso ao usar de sua função pública para afirmar, sem qualquer prova e, ainda, sem ser a autoridade responsável pela investigação, que Lula seria o 'amigo' mencionado em uma suposta planilha que faria referência a supostas vantagens indevidas"; ação pede R$ 100 mil por danos morais.
A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou hoje (28) que entrou com uma ação de reparação por danos morais contra o delegado da Polícia Federal Felipe Pace.
Na ação, os advogados pedem o ressarcimento de R$ 100 mil por entenderem que o delegado "atacou a honra e a reputação" de Lula ao afirmar que o ex-presidente seria a pessoa citada pelo codinome "amigo" em uma suposta planilha de pagamento de propina da empreiteira Odebrecht.
"O citado delegado federal cometeu abuso ao usar de sua função pública para afirmar, sem qualquer prova e, ainda, sem ser a autoridade responsável pela investigação, que Lula seria o "amigo" mencionado em uma suposta planilha que faria referência a supostas vantagens indevidas", argumentou a defesa.
Na segunda-feira (24), a Polícia Federal afirmou que investiga se empresário Marcelo Odebrecht, preso na Operação Lava Jato, usava os codinomes "amigo", amigo de meu pai" e "amigo de EO [Emílio Odebrecht, pai de Marcelo]" para se referir ao ex-presidente Lula.
Em um dos trechos do documento, a PF diz que a investigação das planilhas apreendidas revelou "que os pagamentos no total de R$ 8 milhões foram debitados do saldo da conta-corrente da propina que correspondia ao agente identificado pelo codinome de "amigo". A PF diz, no relatório, que há "respaldo probatório e coerência investigativa em se considerar que o termo "amigo" faz referência à Lula.
No relatório, o delegado Felipe Pace disse que "a responsabilidade criminal do ex-presidente da República" não é feita pelo grupo de trabalho da Lava Jato, do qual ele faz parte, mas por outro delegado, Márcio Anselmo, que já investiga Lula.
Edição: Maria Claudia
Leia a íntegra da nota dos advogados:
Nota
Protocolamos na data de hoje (28/10), na condição de advogados do ex-Presidente Luiz Inacio Lula da Silva, ação de reparação de danos morais contra o Delegado de Polícia Federal Filipe Hille Pace, em virtude de afirmação ofensiva e mentirosa por ele lançada sobre o nosso cliente em relatório relativo ao inquérito policial no. 2255/2015-4 SR/DPF/PR, no qual ele não figura como investigado.
O citado delegado federal cometeu abuso ao usar de sua função pública para afirmar, sem qualquer prova e, ainda, sem ser a autoridade responsável pela investigação, que Lula seria o "amigo" mencionado em uma suposta planilha que faria referência a supostas vantagens indevidas.
Conforme exposto na ação, "nenhum agente público pode se utilizar de suas prerrogativas funcionais para atacar a honra e a reputação alheias, sob pena de cometer abuso punível na forma da lei".
A ação pede a condenação de Pace ao pagamento da quantia de R$ 100 mil, a título de reparação por danos morais.
O documento está disponível em www.abemdaverdade.com.br
Cristiano Zanin Martins e Roberto Teixeira

Natalino Salgado é eleito membro da Academia Nacional de Medicina

natalinosalgado222

Pela primeira vez a Academia Nacional de Medicina terá entre seus membros um maranhense formado pela Faculdade de Medicina da UFMA e com residência fixa no Maranhão. Natalino Salgado Filho foi eleito na noite desta quinta-feira (27), o ocupante da cadeira nº 19 da ANM. Ele sucede Clementino Fraga que faleceu em maio deste ano e tem como patrono o ex-vice-presidente da República, Manoel Vitorino Pereira.
A escolha pelo nome de Natalino Salgado é um justo reconhecimento ao grande trabalho desempenhado pelo médico no exercício da sua profissão. Ele já foi diretor do Hospital Universitário Presidente Dutra, reitor da Universidade Federal do Maranhão e tem centenas de trabalhos publicados nos mais importantes periódicos da medicina em todo o mundo.
Antes de ser eleito, Natalino teve que apresentar seu curriculum vitae e uma tese inédita. O ex-reitor da UFMA ainda passou por uma criteriosa sabatina.
Especialista em nefrologia, Natalino Salgado é referência na sua área. Porém ele vem se destacando em outra atuação, o médico também já é membro da Academia Maranhense de Letras e da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores.
Mais uma vez Natalino Salgado Filho é imortalizado e agora é membro da mais antiga e prestigiada entidade da medicina. A ANM tem 187 anos e reúne a elite dos grandes médicos e cientistas da medicina do Brasil.

Agritec tem levado benefícios aos agricultores do Maranhão

 

Feiras da Agricultura Familiar estão deixando legados importantes para a produção de alimentos no Maranhão. Foto: Divulgação
 
O investimento do Governo do Maranhão para levar conhecimento e tecnologias a centenas de agricultores de oito municípios de diversas regiões do estado, por meio da Feira de Agricultura Familiar e Agrotecnologia do Maranhão (Agritec), rende experiências como a de Marly dos Santos Oliveira, agricultora de 52 anos, moradora do povoado Goiabal, em Penalva, a 255 quilômetros de São Luís. Ela e mais 35 agricultores receberão das mãos do governador Flávio Dino, nesta sexta-feira (28), título de terra coletivo para produção agrícola. Mais três títulos coletivos serão entregues pelo Instituto de Colonização de Terras do Maranhão (Iterma).
Diferente de outras feiras agropecuárias, a Agritec é direcionada para que o pequeno e médio agricultor familiar tenha acesso aos mais diversos conhecimentos relacionados à produção agrícola. A Agritec dispõe de espaços tecnológicos com demonstração de pequenas alternativas de cultivo viáveis para o produtor, oficinas, palestras, cursos, comercialização de produtos cultivados por agricultores dos municípios da região, dentre outros atrativos.
A iniciativa integra um conjunto de ações para o setor rural do Estado. A atividade desenvolvida pelo Governo é executada pela Secretaria de Agricultura Familiar (SAF) e tem melhorado a vida de pessoas como Marlydos Santos Oliveira. “Fico muito feliz de saber que conseguimos realizar os nossos sonhos. Nunca tivemos alguém que olhasse por nós, como o governador está olhando. Essa nossa luta por um espaço para cultivarmos já rende mais de 20 anos e agora se concretiza. A associação já estava ficando sem terra para trabalhar. São mais de 50 e poucas famílias que dependem dessa terra e agora terão oportunidades, graças a essa política de governo”, disse a agricultora.
O Governo do Estado tem o compromisso de desenvolver a agricultura familiar a partir de três pilares: a regularização de terras, a assistência técnica e o fomento à produção. Até o momento, as Agritecs já foram realizadas na cidade de São Bento, Açailândia, Caxias, Bacabal, Codó, Grajaú, Zé Doca, e neste fim de semana no município de Viana. A tendência é que mais cidades nas regiões Tocantina, dos Cocais, da Baixada e Vale do Mearim, além das cidades do Plano de Ação ‘Mais IDH’, recebam esses espaços para a troca de experiências e a ampliação de conhecimentos tecnológicos no âmbito da agricultura familiar para benefício do produtor maranhense.
As feiras têm tido um papel fundamental de levar conhecimento aos agricultores familiares. Para o secretário de Estado de Agricultura Familiar, Adelmo Soares, os espaços vêm se tornando uma vitrine tecnológica que prioriza a capacitação dos técnicos em vários níveis, através das transferências de tecnologias da Embrapa e das experiências exitosas dos movimentos sociais que têm uma participação efetiva na troca dessas experiências. “O Maranhão é um estado extremamente rural e é a partir do campo que temos trabalhado para desenvolvermos o nosso estado. Essas feiras se tornam a oportunidade para o agricultor familiar conhecer e ter acesso a tecnologias simples que impulsionarão o desenvolvimento de sua produção e da agricultura local”, disse o secretário Adelmo Soares.
Feiras da Agricultura Familiar estão deixando legados importantes para a produção de alimentos no Maranhão. Foto: Divulgação
 
Em Caxias, um dos legados da edição da Agritec no município é o projeto Sisteminha, uma espécie de tecnologia simples, desenvolvida pela Embrapa. A experiência que deu certa no estado vizinho, no Piauí, foi trazida e aprovada no Maranhão pelo governador Flávio Dino. Inicialmente, o projeto Sisteminha é de subsistência, mas com o aperfeiçoamento, com a assistência técnica e a garantia da comercialização é uma grande e importantíssima fonte de renda para as famílias do Maranhão, que tem tido peixe, galinha, hortaliças, frutas e produtos no quintal de casa para consumir e vender o excedente.
Na Agritec de São Bento houve a participação de representantes de quase 30 municípios, que tanto tiveram a oportunidade de aprender novas técnicas quanto compartilhar técnicas conhecidas. De acordo com o secretário Adelmo Soares, a ideia é que um município mostre para o outro o que faz, o que pode melhorar. “Essa troca de experiência é, sem sombra de dúvida, o maior legado. A história da Agritec é um legado de conhecimentos que ficará na região”, frisou.
Em Codó, o marco durante a Agritec foi quando a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima) e a Aged lançaram o ‘Manual de orientação para o registro da agroindústria familiar, pequeno porte e artesanal’, criado para facilitar o entendimento das legislações e informar, de forma simplificada, o que é necessário para a obtenção de registro do Serviço de Inspeção Municipal, Estadual ou Federal.
Baixada Maranhense
O território Campos e Lagos está situado na região da Baixada Maranhense e compreende 12 municípios, onde a cidade de Viana está incluída. A realização de uma Agritec no território demonstra a preocupação do Governo do Estado em reverter o quadro de abandono que a região sofreu ao longo de décadas, principalmente, em relação a agricultura familiar.

Feira da Agricultura Familiar promove capacitação no Território Campos e Lagos

 

Artesã maranhense Simei Dantas ficou satisfeita com a comercialização de produtos de matriz africana na feira. Foto: Divulgação
 
Pela primeira vez, o território Campos e Lagos, situado na região da Baixada Maranhense, recebe a Feira da Agricultura Familiar e Agrotecnologia do Maranhão (Agritec). O evento começou nesta quinta-feira (27), com a presença de diversas autoridades, entre as quais o secretário de Estado da Agricultura Familiar (SAF), Adelmo Soares.
O secretário ressaltou que a Agritec contribui com a Baixada Maranhense por meio de investimentos para o desenvolvimento da agricultura familiar. “Esta é a oitava edição da Feira e estamos mostrando que o Governo do Estado está presente na vida do trabalhador rural, melhorando a situação do agricultor familiar através do conhecimento e renda. Precisamos fortalecer a agricultura familiar, como um dos eixos principais desta gestão, e é isso que estamos fazendo, trazendo para a região uma feira de oportunidades”.
Até este sábado (29), a Agritec está oferecendo ao pequeno e médio agricultor familiar acesso a diversos conhecimentos relacionados à produção agrícola, por meio de oficinas, palestras, cursos e comercialização de produtos cultivados por agricultores dos municípios da região. Em parceria com órgãos estaduais, a população local e da região poderá emitir documentos pessoais (CPF e RG), Carteira de Trabalho, emissão de nota fiscal, CAR, entre outros serviços.
Formado por 12 municípios, o território Campos e Lagos ainda apresenta baixos indicadores sociais e a realização de uma Agritec demonstra a preocupação do Governo do Estado em reverter o quadro de abandono que a região foi submetida ao longo de décadas, principalmente em relação à agricultura familiar.
Para o presidente da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), Júlio César Mendonça, a Agritec é o maior evento voltado para o agricultor familiar que a Baixada Maranhense sedia. “A região tem muitos desafios e entendemos que a Agritec é um encontro para mostrar as potencialidades, possibilidades e pôr em pauta a agricultura familiar da Baixada”, disse ele, que afirmou, ainda, que a região viveu 40 anos de abandono e tem um momento ímpar desde 2015. “Para a região, que nunca recebeu um evento desta magnitude, o encontro renova as possibilidades de desenvolver a Baixada”.
A agricultora familiar Maria Lúcia Gaspar, do povoado Bahia, em Viana, está comercializando, na feira da Agritec, produtos que cultiva em sua propriedade. Ela recebe assistência técnica da Agerp. “A gente está muito feliz com essa estrutura e o governador Flávio Dino está trabalhando do nosso lado e vai dar mais forças para o agricultor familiar baixadeiro”.
Na Agritec está sendo comercializado o abacaxi da variedade Turiaçu pelo agricultor familiar Braziliano Teixeira, do município de Santa Inês, que colhe anualmente, cerca de 2 milhões de frutos, entre abacaxi tipo pérola e Turiaçu. “É a primeira vez que participo de uma Agritec e está sendo ótimo para expandir a comercialização do abacaxi. Em Santa Inês somos oito produtores e no município de Turiaçu estamos iniciando nossa produção e acreditamos que o governo está fazendo é bom para o agricultor”, relatou.
Durante a abertura da Agritec, nesta quinta-feira (27), foram entregues dois recibos de inscrição de imóvel rural no Cadastro Ambiental Rural (CAR) e 18 kits de Feira do Programa ‘Mais Produção’ para o escritório regional da Agerp de Viana. Os kits são compostos por barracas, balanças, caixas de isopor, avental, camisas e bonés padronizados.
A Agritec é uma realização do Governo do Estado do Maranhão, por meio do Sistema da Agricultura Familiar, composto pela Secretaria de Agricultura Familiar (SAF), a Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp) e o Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (Iterma). Acontece por meio de parceria com Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Cocais, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Prefeitura municipal de Viana.
Entre os movimentos sociais e entidades representativas dos trabalhadores rurais participantes, o Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB), a Associação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas do Maranhão (Aconeruq), a Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar do Maranhão (Fetraf-MA), a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Maranhão (Fetaema) e Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST).

Eraldo Ébano e o Samba de Gafieira

Com uma longa trajetória no samba, há mais de 20 anos Eraldo Ébano retorna ao estilo musical com gosto de gás

ebano
Desta vez, com o projeto Samba de Gafieira, a nova tendência das sextas à noite em São Luis, que conta com apresentação de clássicos do samba e do choro, estilo o samba da Lapa no Rio de Janeiro.É um samba dançante, ao som de cavaquinho, violão, trombone de vara, pandeiro e percussão, onde são interpretados sambas de grandes compositores brasileiros e choros de Zé da velha, Osmar do trombone, Waldir Azevedo, dentre outros.
Nessa nova trajetória de sua carreira Eraldo Ébano conta com a participação de quatro músicos para somarem com ele neste projeto; Preto Joia no violão de 06 cordas e voz, Hugo Reis no trombone de vara, Sesse das Candongas no surdo e voz e Valdico Monteiro no pandeiro e percussão. Músicos também com uma longa trajetória.
Trajetória
O nome Eraldo Ébano é um nome artístico devido ao grupo de Samba Ébano, onde Eraldo fez parte durante quase 20 anos, assim como também já fez parte de outros grandes grupos de samba aqui em São Luís, como o Sem Dimensão, Aquarela e Ponto Sem Nó.
Eraldo Ébano é dono muitas composições, inclusive algumas de suas composições estão no CD divulgação do Grupo Ponto Sem Nó, como é o caso do samba chamado ironias.
Agora em carreira solo, Eraldo Ébano pretende ano que bem lavar seu primeiro CD e assim apresentar ao seu público suas inúmeras composições musicais.
Eraldo Ébano faz show todas as sextas no Arapuca Bar e Restaurante Pub, no Cohajap com o projeto Samba de Gafieira, a partir das 20h.

Deputado Zé Inácio destaca manifestações contra a PEC 241

 
Dentre os efeitos da PEC citados por Zé Inácio está a redução nos investimentos em saúde e educação
Dentre os efeitos da PEC citados por Zé Inácio está a redução nos investimentos em saúde e educação
O deputado Zé Inácio utilizou o plenário na manhã desta quinta-feira (27) para destacar as manifestações contra a PEC 241, que ocorrem em todo país. As mobilizações são feitas por estudantes secundaristas, universitários e professores.
Durante a fala, o deputado apresentou informações sobre a emenda. “A PEC 241 define o limite de gastos do Governo Federal que, durante 20 anos, só será corrigido pela infração do ano anterior. Economistas têm advertido para os efeitos colaterais que a medida poderá causar”, discorreu.
Dentre os efeitos citados por Zé Inácio está a redução nos investimentos em saúde e educação, além da perda de poder de compra do salário mínimo. A medida foi aprovada em dois turnos na Câmara dos Deputados. “Infelizmente, a grande maioria dos deputados federais do Maranhão votaram a favor dessa PEC. Ontem ela foi encaminhada para o Senado com a previsão de, até o final de novembro e início de dezembro, ser votada em dois turnos no Senado”, disse.
O deputado também se dirigiu aos senadores do país. “Aproveito a oportunidade para chamar a atenção dos nossos senadores contra essa medida que restringe direitos, sobretudo, do cidadão brasileiro, da classe trabalhadora. Nenhum país no mundo adotou o teto de gasto como da PEC 241, somente o Brasil que retoma a política neoliberal que é implantada pelo Governo Temer”, destacou.
Zé Inácio também citou um estudo feito por um economista da Fundação Getúlio Vargas. “Caso a PEC 241 existisse hoje, o salário mínimo, que é R$ 880,00, seria de apenas R$ 400,00. Ou seja, caso a PEC seja aprovada, teremos um retrocesso. Mais de R$ 25 bilhões deixarão de ser investidos na educação e na saúde do país. Então vejam, senhores e senhoras, o que representa essa PEC apelidada de PEC do Fim do Mundo”.
Outro destaque feito pelo deputado foi a questão da saúde. “Os estados e municípios que hoje gastam grande parte das suas receitas com a saúde terão que investir mais recursos próprios no próprio Sistema de Saúde Municipal, para compensar a falta de recursos. Assim, os municípios mais pobres que têm menos receita e dependem mais do orçamento federal devem ser mais prejudicados com uma eventual diminuição dos repasses federais”, enfatizou.
Sobre as Ocupações
De acordo com os dados da União Brasileira de Estudantes Secundaristas (UBES), em nível nacional, existem 1.022 escolas e institutos federais ocupadas, além de 82 universidades e 3 núcleos regionais de educação.
No Maranhão, atualmente se encontram ocupadas a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) (campus Chapadinha), o Cintra (São Luís) e os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA) nos seguintes campi: Açailândia, Centro Histórico (São Luís) e Monte Castelo.

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Com apoio da Sedel, 5ª edição do Campeonato Maranhense de Kitesurf é realizado em São Luís

 

Com apoio da Sedel, 5ª edição do Campeonato Maranhense de Kitesurf é realizado em São Luís. Foto: Divulgaç
 
O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Esporte e Lazer (Sedel), apoia a realização da a 5ª edição do Campeonato Maranhense de Kitesurf, evento promovido pela Associação de Velejadores do Maranhão (Avema). As competições da primeira e segunda etapa, com as modalidades Downwind e Regata Bidirecional, foram disputadas no último sábado (22) e seguem até o dia 4 de dezembro, com largada na Praia do Meio e chegada na Praia do Calhau, em São Luís.
“O Maranhão é potência na prática do Kitesurf, por isso mais uma vez estamos apoiando o Campeonato Maranhense, estimulando a prática dessa modalidade esportiva em um momento em que nossas praias apresentam melhores condições de balneabilidade. Quanto mais limpas nossas praias, mais gente vai praticar esporte”, disse o secretário de Esporte e Lazer, Márcio Jardim, destacando que o governo Flávio Dino está comprometido em apoiar a maior diversidade de competições e eventos esportivos em todo estado.
Na abertura, o evento contou com a participação de 105 atletas que realizaram duas provas de Downwind (corrida a favor do vento) e três Regatas Bidirecionais (corrida em circuito, contra e a favor do vento), deixando a orla de São Luís mais espetacular. De acordo com o presidente da Avema, Rogério Luna, por meio da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte, o Governo do Estado e a Sedel proporcionam o sucesso do Campeonato Maranhense de Kitesurf, que já é marca registrada de todas as edições.
“O sucesso do evento só é possível com a parceria da Avema e seus apoiadores. É uma satisfação contar com o Governo e a Sedel, que não medem esforços para nos ajudar na realização deste evento que tem crescido nos últimos anos, visto que esse esporte está ganhando maior visibilidade local e nacional”, enfatizou Rogério Luna.

Deputado Wellington do Curso protocola oficio em que solicita investigação em empresa contratada pela prefeitura de São Luís

Na tarde de hoje (27), protocolei ofício na Polícia Federal em que solicitamos que sejam efetivadas as investigações em relação ao procedimento administrativo de contratação de um suposto instituto fantasma para execução dos serviços do Projovem Urbano pela Prefeitura de São Luís.
Fiz isso atendendo às denúncias de professores e alunos que estão sem receber o valor referente à bolsa, mesmo com o repasse de mais de 07 milhões de reais.
Além da Polícia Federal, nós formalizamos a denúncia ante o Ministério Público Federal (já que as verbas são federais), Tribunal de Contas do Estado (solicitado uma auditoria), Ministério Público Estadual (em virtude dos possíveis atos de improbidade). Indo ao encontro disso, protocolamos também um ofício solicitando a cópia integral do contrato Nº 11/2015, da Prefeitura com um Instituto localizado em Cajazeiras (PB), localizado a 1.200km da capital maranhense.
Não poderíamos nos omitir diante das mais de 50 denúncias de alunos e professores que não receberam as bolsas do projeto. Esse é um dos papéis de um deputado estadual: fiscalizar!

Recursos para Projeto “Diques da Baixada” estão incluídos no orçamento da União para 2017

Recursos no valor de 60 milhões de reais para o projeto “Diques da Baixada” já estão previstos, no OGU – Orçamento Geral da União para 2017.   O projeto, que será executado pela CODEVASF – Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba, é uma demanda antiga da população do nordeste do Maranhão, que possui uma realidade contraditória, agraciada com água em abundância, mas sem poder usufruir pela falta de tecnologias para o tratamento.
A emenda de bancada é um esforço conjunto de deputados federais e senadores do Maranhão. Prevê a elaboração, licenciamento e implantação do projeto, cujo objetivo é o controle das áreas de inundação, solucionando o problema de salinização dos campos, provocado pela água do mar, que invade os rios e torna as áreas improdutivas, além de reduzir o volume de água para o consumo.
Entre as várias iniciativas dos parlamentares da bancada maranhense para a inclusão do projeto Diques da Baixada no orçamento da União para 2017, o senador Roberto Rocha havia enviado, na última quinta-feira, 20, ofício ao relator da comissão responsável pelo projeto, Senador Waldemir Moka, solicitando, enquanto representante dos deputados e senadores maranhenses, atenção especial ao projeto, como esperança de transformação socioeconômica de uma das regiões mais pobres do país, e a oportunidade de beneficiar, diretamente, mais de hum milhão de pessoas com água própria para o consumo, além de ampliar a fronteira agrícola e pecuária do estado. 
Em março deste ano, por ocasião do aniversário do Fórum da Baixada Maranhense , o senador Roberto Rocha foi homenageado por sua atuação parlamentar em prol dos projetos voltados para a
baixada maranhense, em especial, o projeto “Diques da Baixada”.